À São Luís dos meus encantos

0

Carlos Brandão*

Nossa “Ilha Magnética” chega aos seus 408 anos. Não nasci aqui, mas me considero um ludovicense pela admiração, respeito e paixão que desenvolvi por nossa capital. Cidade de múltiplas facetas, que guarda, em cada um de seus cantos emblemáticos, a história de um povo batalhador, amante das letras e senhor de seu destino. Lugares que devem ter seus encantos passados de geração em geração. E são tantos ícones históricos que fica difícil descrever apenas alguns, correndo o risco de esquecermos outros tão ou mais importantes. Mas, me proponho a esse exercício, em homenagem às nossas raízes.

O que dizer da praça Gonçalves Dias, o conhecido Largo dos Amores, que, desde 1873, vê nascer casais apaixonados. A praça é um marco arquitetônico que se torna completo por ter ao seu redor casarões seculares, como o palácio Cristo Rei; e a igreja Nossa Senhora dos Remédios, com seu estilo gótico imponente.

A Fonte do Ribeirão, que teria sua construção iniciada em 1796, como solução da época para o saneamento e distribuição de água, mas que é conhecida mesmo por dar morada a uma serpente que, no subterrâneo da Ilha, percorre todo seu centro histórico.

A Casa das Tulhas, também conhecida como Mercado das Tulhas ou Feira da Praia Grande, é outro ponto que destaco por sua importância comercial e histórica. Um labirinto ocupado por comerciantes desde o início do século XIX. Antes, era um local público, onde o lavrador guardava suas mercadorias para depois vendê-las. Um pedaço marcante de um cenário que ajudou no desenvolvimento da cidade.

Meu roteiro passa pela praça Pedro II, nosso marco zero. Foi nesse local, segundo os historiadores, que os franceses acamparam para fundar a França Equinocial. Lá, ergueram o forte que se transformou no Palácio dos Leões, um dos maiores prédios públicos do país, com cerca de três mil metros quadrados de área construída. E pela praça temos ainda a Mãe d’Água, a Igreja da Sé, a sede da prefeitura, a sede do poder judiciário e tantos outros prédios importantes.

São Luís é realmente rica historicamente. E alguns pontos pouco lembrados dizem tanto quanto os grandes monumentos. É o caso da Pedra da Memória, construída em homenagem à coroação de Dom Pedro II, em 1841. Originalmente situada onde hoje é o Liceu Maranhense, foi transferida para a avenida Beira-Mar, em 1940. Muitos talvez nem a percebam com o olhar de quem admira um símbolo tão significativo. Mas, ela está lá. Assim como a Pirâmide de Beckman, erguida em homenagem a Manuel Beckman, líder da revolta que levou seu nome, e que aconteceu por insatisfação dos habitantes de São Luís com a administração colonial.

O teatro Arthur Azevedo é mais um espaço que me encanta em nossa cidade. Até hoje considerado um dos mais belos do Brasil, foi construído por iniciativa de dois comerciantes no século XIX e foi inaugurado com o nome de teatro União. Só passou a ser chamado pelo atual nome no século XX, em homenagem a um de nossos mais ilustres teatrólogos. Não à toa é considerado um dos sete Tesouros do Patrimônio Cultural Imaterial da capital maranhense.

Poderia citar ainda tantos outros lugares históricos – e alguns bem peculiares -, como forma de expressar meu sentimento por São Luís, como: o Convento das Mercês; a rua Portugal e seu acervo de azulejos; a Fonte das Pedras, que teria sido construída pelos holandeses, por volta de 1641; o Largo do Carmo, onde fica a igreja do Carmo, construída em 1627; e muitos outros.

Perdoem-me se, em uma cidade com tanta história, não tenha citado algum espaço ou monumento específico. Mas, retrato aqueles que me são especialmente marcantes. Por algumas passagens de minha vida, por lembranças que sempre guardarei. O que não posso, jamais, é deixar de exaltar a cidade, sua gente, sua cultura e sua gigantesca vontade de continuar contribuindo de forma expressiva para a constante construção da identidade do país.

Parabéns, São Luís! E obrigado pela forma como me acolheu e a tantos outros que chegam e se encantam por ti.

*Vice-Governador do Maranhão e Vice-Presidente Nacional do Republicanos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui